sábado, 2 de dezembro de 2017

Chet Baker - Retrato em Branco e Preto

A melodia foi composta por Jobim em 1965, e se chamava Zíngaro (e foi com esse título que João Gilberto a gravou, em 1977, no disco Amoroso). Em 1968, a música foi para Chico colocar a letra. E aí Wagner Homem, no Livro Chico Buarque - História das canções (Ed. Leya, 2009), conta um pouco dessas "implicâncias" na composição da música.
Uma delas, quando o Quiarteto em Cy foi gravar a canção, Chico Buarque teria decidido substituir a expressão "Trago o peito tão marcado" por "peito carregado", sob o argumento de que o "tão" funcionou como uma muleta para completar as sílabas da canção. No entanto, Tom Jobim, que aceitara relutantemente a mudança, ligou para Chico pedindo a manutenção da versão original, porque a expressão "peito carregado" tinha a conotação de tosse. Ponto para Tom.
Mas o episódio mais engraçado da música foi sobre a expressão " vou colecionar mais um soneto/ outro retrato em branco e preto/a maltratar meu coração"
Assim narrada por Wagner Homem:
"Em outra ocasião Tom teria dito a Chico que ninguém fala ‘retrato em branco e preto' e que a expressão correta seria ‘retrato em preto e branco'. Ao que Chico teria respondido: ‘Então tá. Fica assim. ‘vou colecionar mais um tamanco/outro retrato em preto e branco'. Diante de uma tamancada tão convincente, Tom entregou os pontos.
E das implicâncias surgiu uma das mais belas músicas...

Nenhum comentário:

Postar um comentário